quarta-feira, 2 de abril de 2014

24ª Meia Maratona de Lisboa - 16 Março 2014

Este ano fui feliz na Meia Maratona da Ponte! Ok, sofri que nem um maluco durante 21km e depois fui muito feliz em Belém (depois sofri novamente para conseguir sair mas isso é outra história).
Não não é uma selfie, o fotografo é que queria tanto centrar a ponte que quase me falhava a mim!
Depois do fiasco do ano passado queria muito voltar a correr esta prova. Tinha umas contas a ajustar e um objectivo a cumprir. Esta prova é muito especial para mim, foi onde corri a minha primeira meia maratona o que constituiu na altura uma superação quase inimaginável. Há quem não goste ou porque é muita confusão, ou a logística do transporte é complicada , ou é cara. Obviamente que é muita gente mas é isso que torna a prova tão especial. É a oportunidade de termos um cheirinho das grandes provas internacionais aqui mesmo no nosso cantinho. É uma festa e por isso deve ser encarada como tal.

Não tinha voltado a tentar correr uma meia maratona e por isso o objectivo mantinha-se o mesmo, fazer em menos de 1h35. Era um objectivo ambicioso, tendo em conta que o meu RP estava em 1h40m e não fiz qualquer treino especifico para esta prova, a minha mania agora é mais trilhos...

Tal como nos últimos anos não tive grande dificuldade em chegar ao Pragal. Saí relativamente cedo de casa, fui "gratuitamente" de comboio da CP até ao Cais do Sodré, metro até ao Areeiro e novamente comboio para o Pragal. Sempre sentado e descontraidamente cheguei à estação pouco depois das 9h. Ai encontrei-me com uns amigos que também iriam participar. O meu chaganço não foi suficiente para convencer o Duarte a ir para a prova maior mas o Jorge fez a sua estreia em grande! O Jorge é um exemplo de resiliência. No inicio do ano meteu na cabeça que ia correr os 21km, definiu um plano, executou escrupulosamente o mesmo e no dia cumpriu impecavelmente!

Os grandes atletas na espera pelo apito da partida!
Com companhia e na conversa a espera no tabuleiro passou rápido e em menos de nada estávamos a começar a avançar aos poucos. Era altura de tentar desentorpecer as pernas após a espera em pé e rever o plano para atacar a 1h35. Na realidade era bastante simples: 1) sair como um louco; 2) aproveitar cada centímetro de descida até Alcantara e "acumular" o máximo de segundos; 3) Tentar manter um ritmo em torno dos 4'30/km e "perder" o mínimo de segundos possível.

Mais uma vez não me posso queixar muito da partida, no entanto, foi um grande ponto de reclamações e confusões. Fazer uma partida simultânea de 40000 pessoas é no mínimo irrealista. Mesmo as 10000 da meia já é complicado. Mesmo nas grandes competições internacionais com o número semelhante de participantes a partida é efectuada por vagas. Claramente um dos pontos que a organização devia rever.

Após 3 longos minutos lá passei o pórtico da partida e comecei a correr. Como habitualmente a confusão inicial é muita mas entre sprints e travagens, ultrapassagens "in extremis" e utilização criativa da parte metálica do tabuleiro, lá consegui engrenar no ritmo planeado. Os meus pés não estavam a gostar nada de correr na grade e sabia que todas estas maluquices iam ter um preço mas nesta altura só esperava que não fosse demasiado alto. 

Felizmente quando cheguei à descida já tinha algum espaço e alarguei a passada ao máximo. Ainda pensei em ignorar o 1º abastecimento mas estava algum calor e optei por pegar numa garrafa... e a seguir choquei com um homem que decidiu parar assim que pegou na dele... Grrrr... A partir daqui decidi que apenas iria aos abastecimentos se tivessem "livres" o que me levou a passar quase metade deles. Alguém se lembrou de mim quando serviram o isotónico em copos? :-)

No km 6 passei pelo Sílvio. Não tínhamos combinado nada e fiquei super contente por o encontrar. Trocamos algumas palavras e às tantas ele fala no ritmo médio e eu lá carrego no relógio para ver: 4'12/km Uau! Não estava à espera que fosse tão bom! Isso deu-me motivação extra e após o Sílvio insistir um par de vezes lá continuei na minha demanda.
Concentradissimo! Inspira... Expira...
O retorno no Cais do Sodré foi uma boa novidade deste ano. Em termos "turísticos" é pena não passar no Terreiro do Paço, mas tudo o que evite correr no empedrado da Ribeira da Naus é uma decisão vencedora (o ano passado foi lá que o meu joelho deu o crack final...). Com a inversão de direcção o vento passa a fazer sentir-se e aliado ao desgaste inicial o ritmo vai progressivamente a diminuir. Mesmo assim ainda consigo passar a marca dos 10km em 42'34'' o que é menos 14s que o meu melhor tempo na distância.

Os 7km seguintes são um longo e tortuoso caminho até quase à Cruz Quebrada, fruto do retorno antecipado. Está é sempre a parte mais difícil, quando as forças já começam a faltar. Passamos pela zona da meta e apesar de estar ali tão perto ainda está tão longe. Mas este ano o que mais me afectou foi mesmo ver os atletas mais rápidos já no retorno. Talvez influenciado pelo corrida da semana anterior em que até ao retorno não havia muita gente já a regressar, aqui eram aos magotes. Felizmente mais uma vez tive um apoio muito especial das minhas três flores na zona de Belém que me ajudou a ultrapassar esta fase.




A corrida necessitava de toda a minha concentração, e à mais pequena distracção o ritmo teimava em abrandar. Tive de deixar de tentar olhar para as caras para ver se via alguém conhecido e focar-me apenas no acto de colocar uma perna à frente da outra. Houve muito sofrimento nesta fase e ver atletas deitados no chão a serem assistidos pelos paramédicos a cortarem a tshirt com uma tesoura não ajudou nada.

E como sempre o retorno chega de surpresa e parece que ganho novo fôlego (provavelmente pelo vento ter ficado a favor). Embora eu não consiga ver ninguém oiço chamarem por mim, primeiro o Sílvio e depois o Jorge e isso dá-me uma força incrível. Vou progressivamente aumentando o ritmo e passo o 20km em 1h29m.Sinto uma onda de felicidade dentro de mim, a não ser que aconteça um cataclismo vou conseguir cumprir o objectivo, pela primeira vez na prova acredito que vai ser possível!

Obrigado Duarte! Vamos lá sprintar!
Acelero ainda mais e a 400m da meta oiço alguém a chamar por mim, era o Duarte que entretanto já terminara a sua prova. Largo num sprint e termino a prova em grande. Desta vez até me lembro de levantar os braços e festejar, infelizmente não havia ninguém para captar o momento. 
E já está! Fui feliz em Belém!
1h34m05s, novo RP e quase menos 1min que o objectivo!
Vejo a Inês com as meninas atrás das grades mas levaria ainda quase 30mim para conseguir finalmente chegar ao pé delas. Felizmente encontrei o Filipe e fomos na conversa no longo caminhar até à saída. Até compreendo a intenção da organização de criar um espaço amplo para os participantes poderem esperar pelos colegas, mas devia haver mais saídas, e localizadas mais perto da meta. Quando finalmente consegui sair estava longe da meta e já não consegui ver o Jorge a chegar.

Fiquei super feliz com esta prova e nem toda a confusão de gente afectou a minha experiência. Nos dias seguintes quando me perguntavam sobre a prova dizia que este seria o meu RP da Meia Maratona para sempre, que não voltaria a sofrer naquela maneira para tentar bater o tempo. Como levei tanto tempo a escrever, agora já não tenho tanta certeza... :) 

De qualquer maneira  agora chegou a altura de mudar de chip e nos próximos meses dedicar-me a outro tipo de terrenos e distâncias...
Com todas as minhas medalhas!

17 comentários:

  1. Muitos parabéns Rui..que grande prova e que excelente relato. Muito bom, mas ainda tens aí muito para melhorar...agora são os trilhos mas vai haver uma altura em que vais voltar a querer olhar para ritmos e tempos...eu estou nessa fase...e sabes que mais, existe espaço para estrada e trilhos. Grande abraço Campeão!!!

    P.S. tava a ver que tinhas emigrado ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Carlos. Há sempre espaço para melhorar a questão é se há vontade de sofrer outra vez daquela maneira… Ainda me doi quando olho para a linha do HR. Eu não sou nada extremista, adoro correr seja em estrada seja em trilhos, mas provas com o coração sempre no red line já não me atraem como “antigamente”.
      Boas Corridas!
      Abraço.
      PS-Não não emigrei mas queria ganhar de forma arrebatadora o titulo de Blogger mais lento do pedaço.

      Eliminar
  2. Grande Prova Rui…Parabéns!! Abraço!

    ResponderEliminar
  3. Parabéns!!!

    E nunca ligues ao que dizes após uma prova... :)

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado João. E o que disse já está (quase) esquecido. ;)
      Boas Corridas!
      Abraço.

      Eliminar
  4. Muito bom tempo!

    Parabens!

    É sempre assim..
    Durante a prova: "Nunca mais me meto noutra..."
    Após a prova: "Deixa la ver no calendario quando é a proxima:)"

    Parabens mais uma vez.
    Abraço
    Francisco Rosa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Francisco. Esse mantra é um clássico da modalidade!
      Boas Corridas! Para quando o regresso à Hora do Esquilo? ;)
      Abraço.

      Eliminar
    2. :)

      Tenho andado com umas pequenas queixas mas talvez para breve ;)!

      Abraço!

      Eliminar
  5. Muito parabéns! Excelente tempo que fizeste! Fico feliz por ter contribuído para o teu objectivo! Domingo vamos ser muito felizes! Um abraço e até domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Sílvio! É verdade, o teu apoio naqueles 2 momentos chave foram impagáveis!
      E sim, Domingo vai ser em grande. Temos é de ter cuidado para não sermos já “ultras” nesta, isto é, a ver se não nos perdemos(muito…). ;)
      Abraço.

      Eliminar
  6. Ah, tardou mas valeu a pena! Muito bom relato, como sempre neste blog eheheh Quanto à nossa diferença de opinião da prova, agora que já passaram umas semana estou menos chateado que na altura. Tinha metido na cabeça que ia fazer um bom tempo e estava farto de saber que não era a prova certa para isso, ainda mais 3 semanas depois da maratona... Bem, fica o record para depois da maratona de Lisboa, onde espero encontrar-te outra vez eheh Ah, e quem sabe nuns trilhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é Filipe, actualmente ando a escrever ao ritmo alucinante de 2 linhas por dia… Isto nos dias em que a evolução não é negativa... Como quando deixo uma frase a meio, no dia seguinte já não me lembro o que estava a pensar e apago, entretanto sou requisitado para uma qualquer tarefa e voilá, menos caracteres do que quando comecei!
      Não é uma prova perfeita, mas é a maior prova nacional, é uma festa. Obrigado pela companhia na lenta procissão para o pórtico da saída.
      E de certeza que havemos de nos encontrar novamente! Na saída em Cascais há menos gente! ;)
      Boas corridas,
      Abraço.

      Eliminar
  7. Belíssimo tempo! Ainda para mais com aquele calor :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Sérgio! Eu sou alentejano e para dizer a verdade nem senti muito o calor (e pensar que na manhã da prova ainda ponderei levar um corta vento...).
      Boas corridas, abraço.

      Eliminar